UMA ESCOLA ANTIGA RENOVADA


04/11/2017

44. UMA ESCOLA ANTIGA RENOVADA

É importante falar sobre a vida em grupo, num grupo que visa integrar na sua vida cotidiana a vida interna, a vida de acordo com uma dimensão superior.

Sempre que falamos de um grupo de meditação, temos aquela velha ideia de monges sentados e, geralmente, é a velha imagem de monges com vestes longas, cor carmim, ou marrom, de monges, tibetanos ou zen budistas japoneses. É assim mesmo. É uma imagem antiga e recorrente que até, de certa forma, conduz-nos a uma sensação de conforto e acolhimento. É como sentar em frente a uma lareira, com uma luz suave e ler um livro bom. Acolhedor, apaziguador. Bem distante daquela imagem das massas atuais, dos cantos e shows das igrejas televisivas, tão agitados, tão cheios de apelos.

A nossa imagem da sala de estudos é a mesma que tento recriar por aqui, no nosso lar ou no Centro de Meditação. Apesar de que poderíamos ter uma melhor forma de nos posicionarmos numa sala, a forma antiga, a forma de sentarmos em grupo como uma família, nos aquece por dentro. É a imagem de uma família que temos visto e sentido nos últimos tempos. Até uns dias atrás, foi minha casa que havia servido como Centro de Meditação e isso me lembra muito de outros tempos. Dos tempos em que, apesar de fazermos parte de um grupo que estava inserido dentro de certos ditames religiosos, nada tinha a ver com as instituições hoje estabelecidas e que se originaram daqueles movimentos. Ainda sinto a harmonia, a mesma atmosfera daquelas épocas, daqueles momentos, quando estamos juntos. E, quando podemos abrir a dimensão da Nave, que cada vez mais congrega integrantes de muitos pontos do planeta e de outras dimensões, mais profundamente me transporto para uma atmosfera límpida, pura, sem apegos quaisquer que o mundo material possa induzir ou introduzir em nossos encontros e em nossas vidas. É algo de uma profunda coligação de dimensões e que faz com que muitos digam que, ao entrar no CMM, estão em outra dimensão...

Assim pretendo que outros espaços e as casas dos nossos amigos, irradiem essa harmonia, essa pureza que deve ser o reflexo da essência, não do externo. Agora, também é assim, no nosso novo espaço, em conjunto com o espaço Bem-Cirlular.


Seguindo... sempre...


WORKSHOP MEDITAÇÃO LIVRE


21/10/2017

WORKSHOP MEDITAÇÃO LIVRE



Neste encontro veremos as técnicas básicas para meditação, conforme mostradas no livro "Práticas Para a Meditação Livre", com teoria e prática.

PARA QUE SERVE
DIFERENÇA ENTRE REFLETIR, DIVAGAR E MEDITAR
RESULTADOS DAS MEDITAÇÕES
POSTURAS
PROGRAMA DE PRÁTICAS
A IMPORTÂNCIA DA RESPIRAÇÃO
O ESTADO INTERMEDIÁRIO DE CONSCIÊNCIA
O EXERCÍCIO BÁSICO PARA MEDITAÇÃO
MÚSICA E RESPIRAÇÃO
ALCANÇAR OBJETIVOS
DESPROGRAMAR CARACTERÍSTICAS NEGATIVAS


WORKSHOP MEDITAÇÃO LIVRE

Dia: 28 de Outubro de 2017
Local: Círculo Operário de Santa Maria
Valores: R$ 70,00 para público geral e R$ 30,00 para os colaboradores do Centro de Meditação
Material: os participantes receberão o livro Práticas Para a Meditação Livre e os arquivos para as práticas, que estarão disponíveis para download.


CONTATO E INSCRIÇÕES 

Lídia Leão - (55) 99629 6889
Delci Jardim - (55) 99980 1603

Favor confirmar presença até dia 25 de outubro.



ESPIRITUALIDADE MODERNA / FAMÍLIA ESTELAR


02/10/2017

42. SOBRE A ESPIRITUALIDADE MODERNA, MAIS UMA VEZ

Quero continuar falando sobre o que está ocorrendo com a espiritualidade, assunto que iniciei no tópico 13 deste blog.

Parece-me que a tecnicidade, a tecnologia, que a intervenção da técnica como tentativa de conquistar resultados (entenda-se aqui números de adeptos), afasta ainda mais a verdadeira espiritualidade das pessoas. Vejo, a cada dia, mais palestrantes com grande poder de persuasão, com enorme retórica, com inúmeras “ferramentas para auxílio e desenvolvimento de potenciais”. Mas, eu vejo e sinto isso como se fosse um show, como mostra da capacidade de sugestionar e de hipnotizar e não como a utilização de ferramentas que proporcionam uma transformação interna, verdadeira e duradoura. O discurso cheio de chaves e padrões e com grande investimento tecnológico, tem algo de contraditório com a espiritualidade profunda. Não que seja contra uma verdadeira espiritualidade que se utilize da tecnologia ou de certos mecanismos para alcançar uma linguagem atual, renovada e vibrante, e que isso torne a espiritualidade mais facilmente compreendida pelos novos alunos, pelos mais jovens, especialmente. Não se pode querer que a espiritualidade tenha um padrão ou que siga moldes da academia formal. Espiritualidade profunda não é ciência e nem academia. Isso precisa ficar claro. O show da espiritualidade está voltado para angariar fundos e atingir um público maior, com resultados voltados para a satisfação imediata. É o consumismo e a massificação introduzidos na espiritualidade. Além disso, também identifico que em todas as formas atuais de transmissão de conhecimentos, de “formação de indivíduos”, e que deveriam ser profundos, escondem-se, profundamente, e de maneira vergonhosa, as instituições religiosas que as mantém. Pensando entrar em algo livre e com estrutura lindíssima, veiculam-se aos mesmos organismos e aos mesmos ideais que pretendiam derrotar.
Muitas ferramentas podem ser utilizadas para que se atinja um resultado ou que um aluno consiga ultrapassar suas próprias barreiras. Enquanto que, para um, a orientação possa ser apenas ficar em silêncio, em quietude e reclusão, para outro, pode ser indicado uma prática física, exercitar-se, estar no mundo conscientemente. Mas, como saber o que é preciso, na hora certa? Espiritualidade não é uma técnica com fórmulas precisas, como uma receita culinária, ou que se possa decorar fórmulas já utilizadas por certos métodos ou gurus. Menos, ainda, que se repitam leituras decoradas, que fazem bem a quem ouve, mas que não estejam integradas ao ser que as leu. Há um prejuízo enorme quando os que tentam orientar são pessoas com grande capacidade intelectual e cognitiva e, pensando que os conceitos estão em seu ser, quando na verdade estão apenas na sua mente, fazem uso de recursos persuasivos para induzir os seus crentes a seguirem determinadas maneiras de viver. Isso é hipnose, que mascara e engana.
A persuasão, como ferramenta de transformação, é vazia. Ela dá uma motivação temporária, ela cria expectativas, mas logo se torna infrutífera. Mais que palavras, mais que efeitos visuais ou comparações entre filosofias e escolas místicas, é preciso estar realmente fora do contexto humano para orientar aqueles que queiram estar, também, fora das metas puramente humanas.
No entanto, há um ponto interessante de observar. As pessoas que buscam a mudança ou o conhecimento, parecem sedentas. Sedentas, mas com pouca curiosidade, com pouco tempo para analisar as informações, a origem das informações, e de onde vem tudo o que acreditam, ouvem e até mesmo seguem.
Com isso, vejo um número enorme de pessoas que olham, analisam, escutam e se deixam convencer por instrutores que não tiveram, para si mesmos, a menor formação interna. Há uma necessidade de obter conforto e conhecimento, mas falta a curiosidade, falta a vontade de conhecer a origem dos discursos. E não estou falando de formação acadêmica. Estou falando da origem dos discursos que qualquer um profira e que muitos ficam, por horas, assistindo e se deixando influenciar. Vale aqui recomendar a leitura dos tópicos 74 e 75 do livro Conversando Sobre MOINTIAN.


43. SOBRE FAMÍLIA ESTELAR

Muitos perguntam, com razão, “por conta de uma ânsia de descobertas mais profundas”, sobre sua origem estelar e cósmica.
É interessantíssimo falarmos sobre esse ponto. É muito comentado, em vários grupos, sobre a possibilidade de que precisamos muito descobrir de onde viemos e o porquê. Até temos, no MOINTIAN, um símbolo que despertaria para uma “memória” desse tipo, que é o Símbolo Familia Estelar, ensinado no Nível III.
Há uma infinidade de definições na internet, em livros e em vídeos, sobre os mais variados tipos de seres, que ainda insistem em chamar de “extraterrestres” e não “extradimensionais”, como viemos a defini-los, feitas por grupos de estudos ufológicos, espiritualistas e místicos.
O fato é que importa realmente sabermos que somos uma essência divina que habita um corpo físico e que já esteve em outras dimensões e em outros rincões “cosmodimensionais”, se posso dizer assim, como sendo várias dimensões do cosmos. Mas isso não se encontra na dimensão física, nem é coisa da distância física, que nos colocaria como originados de outros planetas, constelações ou galáxias. Eu explico essas definições no livro azul, na parte V, especificamente.
Sendo assim, por que a origem cósmica ou estelar fica para segundo plano? Porque saber a origem ou que se deva “voltar para lá” não é o mais importante. O foco deve estar em saber o que se foi para poder ir além e integrar a essência divina. Todas as vivências que tivemos, sejam elas de ordem anímica ou de personalidade ou de origem estelar, estão abaixo, na escala de importância e na escala de integração, que a essência divina. Se imaginamos alguém que tenha sido um “draco”, por exemplo, em sua origem remota – um “remanescente negativo”, que tenha atuado em várias etapas do processo de densificação e aprisionamento da terceira dimensão – essa pessoa não vai querer voltar a ser “draco”. Ela quer ir além. Ela precisa ir além. Ela precisa ser uma essência. Então, importa pouco sua origem, no sentido da busca final por conhecimento e, muito mais, a redescoberta de sua essência, que é livre de toda prisão, de todo jogo de interesses e da negatividade.
Isso é assim porque, hoje, não precisamos mais definir a nossa origem estelar ou cósmica, nem nossa estrutura energética para podermos acessar o mais profundo de nós mesmos. Quando não tínhamos o MOINTIAN no planeta, era mais difícil. Era preciso entender o processo interno, o que quase nunca ocorria, e estar fiel a um método que conduzisse ao despertar correto. Isso deveria estar baseado na origem cósmica, na família estelar e na configuração exata de cada estrutura energética. Tendo sido estudado e estruturado de maneira a acabar com essa confusão, o MOINTIAN não necessita definir esses pontos, e se adequa a todos os tipos de seres. Por isso, atualmente, a importância está no processo de assumirmos nossa essência, sem perdermos tempo definindo ou despertando memórias que podem ter efeito de dispersar a integração. Quando caminhamos no processo dessa integração da essência, podem surgir, naturalmente, algumas memórias. Mas elas serão as memórias “do meio do caminho”, se considerarmos o caminho de início como sendo a alma e, o final, a essência divina. Alguns tipos de depressão podem estar associados ao problema da ânsia por essa descoberta, como foi descrito no tópico 94 do livro azul. Sobre a estrutura energética, o capítulo 6 do livro verde explica bastante.

GRUPO DE ESTUDOS DO LIVRO VERDE IV

29/09/2017


Grupo de Estudos do livro
Uma Nova Consciência Para Uma Nova Humanidade
Quarta Parte - Como Desprogramar Características Negativas

Convido a todos para participarem do terceiro encontro do Grupo de Estudos do livro verde.




Dia: Sábado, dia 30 de Setembro de 2017
Horário: A partir das 14h30 min.
Local: Centro de Meditação MOINTIAN
Contribuição: R$30,00 para não colaboradores


FLUXO DA ENERGIA E FORÇA PARA A MUDANÇA

23/09/2017


40. FLUXO DA ENERGIA INTERROMPIDO OU PROBLEMA FÍSICO

Para aqueles que estão no caminho interno, e quanto mais avançados estiverem, vale saber interpretar as sensações que a energia comunica através do corpo. Muitas vezes, estados febris, de incomodo ou mesmo algumas dores localizadas, precisam ser analisadas como sendo a própria energia realizando seu trabalho e encontrando pontos de bloqueio ou para aberturas importantes. São avisos para que cada um, com as ferramentas que já possua, possa realizar os desbloqueios que possibilitarão avançar ainda mais no processo interno. É preciso sentir o corpo, é preciso analisar as posturas, para saber se foi a maneira de dirigir, a maneira de varrer, a postura para dormir, o esforço mal feito, que provocou uma dor, que então é muscular ou física, provocada por uma situação de exagero ou descuido, ou se nada disso ocorreu e, então, é realmente de natureza energética. É preciso fazer a diferença entre o desconforto ocasionado por um distúrbio físico daquele ocasionado pelo bloqueio da energia em algum ponto do corpo. E esse bloqueio pode ir afetando o físico com o passar do tempo.

Toda vez que nos encontramos em uma fase de crescimento, que precisamos vencer uma etapa, que precisamos tomar uma decisão ou mesmo que necessitamos mudar a forma de pensamento, vamos estar sujeitos ao fluxo da energia, ao movimento da energia. Os pontos de bloqueio são justamente os pontos por onde a energia da mudança deveria passar e encontrou uma barreira. Essa barreira pode ser um sistema de crenças, um conceito, uma maneira antiga de ver as coisas e que não nos permite mudar ou seguir adiante.

Cada vez que impedimos o fluxo superior de se manifestar, causamos, em nosso ser, e até mesmo em nosso corpo, determinadas interrupções do caminho da energia. Por isso que a análise consciente dos processos, das atitudes e dos pensamentos deve ser algo constante e primordial. É preciso saber que estamos em um processo de crescimento constante. A mente, a emoção, são fatores que impedem que a vida siga com seus processos naturais e que possamos ir adiante com nossas decisões. Mesmo quando nos dedicamos a eliminar padrões ou a seguir com um novo rumo, se a mente permanece no passado, é impossível que a energia ou que o fluxo da energia permaneça conosco e possa trazer a manifestação real que necessitamos. Se nos coligamos ao passado, se retemos o passado e as lembranças, impedimos que o potencial do novo e mesmo que o fluxo da energia traga para nós o que necessitamos.

O problema que ocorre é que somos muito imediatistas e não nos damos conta do que está ocorrendo. É certo que muitos fantasiam, quando dizem que tudo que lhes ocorra é por conta da energia fazendo seu trabalho, e isso é um problema sério, no caso de algo estar realmente se manifestando apenas no físico. Mas quando estamos um pouco conscientes que seja do trabalho sendo realizado para o progresso, então é preciso tomar a decisão de, por conta própria, resolver o que se manifesta. Quando um desconforto causado por uma mudança necessária que precisa ocorrer ocasiona uma dor localizada, por exemplo, muitos sentem-se induzidos a recorrer a massagens ou outros tratamentos alternativos que podem até trazer o alivio, mas que podem dificultar, adiar ou interromper o processo de ocorrer. É por isso que aqueles que são iniciados a mais tempo, que têm as ferramentas mais profundas, precisam entender o que ocorre consigo, com seus corpos, com seu ser. E precisam entender que a energia, quando bem aplicada, resolve muito mais que qualquer outro mecanismo, especialmente quando se trata de algo energético, e até físico, quando a dor era apenas o aviso de algo interno ocorrendo. Por isso que eu digo, em certo ponto dos escritos, que ninguém pode ajudar o outro ou dizer em que ponto está ou do que necessite, pois até a recomendação de uma respiração, de uma massagem ou de uma técnica, pode impedir que algo se manifeste para o outro. Isso é assim porque se alguém vai a um terapeuta ou outro tipo de pessoa para resolver uma situação de desconforto, entram outras energias, entra a energia da pessoa, entra a energia que a pessoa aplica ou está iniciada ou mesmo simpatiza, entra a mão do outro no processo interno e pessoal.

É preciso tomar consciência dos processos internos, mas com inteligência, com sabedoria, para que não se caia para o lado da fantasia, como quando um problema seja físico e precise de um médico para resolver a situação, ou quando o problema resulta da energia e o tratamento com remédios impediria sua correta resolução. É preciso conhecimento de si mesmo.


41. UMA FORÇA PARA A MUDANÇA

Mais que instruções ou falar a respeito de processos, ou das fases que aparecem, é preciso saber que aquele que entra no processo iniciático, de ascensão, no caminho espiritual, precisa seguir a orientação mais básica do Método: realizar sistematicamente as aplicações, a sequência básica e as técnicas pertinentes ao seu nível de iniciação. Nesse sentido, as técnicas são a terapia que o aluno necessita. Muitos dizem que eu falo pouco, mas eu sei que para aqueles que pedem minha orientação direta, estou sempre dando mais ferramentas, mais força. Há, atualmente, um trabalho diferente, uma orientação diferente que pode ser dada ao aluno, conforme a necessidade, e especialmente para aqueles que estejam mais próximos fisicamente, pois então podem participar das atividades em grupo e receber determinadas orientações mais imediatas. Mesmo que muitos estejam resolvendo coisas da personalidade, que tenham conflitos da personalidade aflorando com o impulso das iniciações, é preciso saber que estamos num caminho interno. Estamos trabalhando com resoluções que não estão baseadas na terapêutica convencional, que não estão nos livros fora do contexto espiritual que forma o MOINTIAN. Se o aluno faz todo um processo de mudanças, mas quer voltar ao mesmo ponto de antes, sua vida se torna um caos, fruto da interrupção do fluxo da energia, do fluir do fluxo e da força para a mudança. Essa volta ao ponto de antes pode ser causada por fatores que ele mesmo desconhece, ou por ligações que ainda continua fazendo com as relações ou situações que deveriam ser deixadas para traz. É preciso perseverar....

... e vamos seguindo.

GRUPO DE ESTUDOS DO LIVRO VERDE III

14/09/2017

Grupo de Estudos do livro
Uma Nova Consciência Para Uma Nova Humanidade
Terceira Parte - A Grande Chave Para a Evolução

Convido a todos para participarem do terceiro encontro do Grupo de Estudos do livro verde.


Dia: Sábado, dia 16 de Setembro de 2017
Horário: A partir das 14h30 min.
Local: Centro de Meditação MOINTIAN
Contribuição: R$30,00 para não colaboradores



GRUPO DE ESTUDOS DO LIVRO VERDE II



31/08/2017

Grupo de Estudos do livro
Uma Nova Consciência Para Uma Nova Humanidade
Segunda Parte - Para Identificar Onde Estou

Convido a todos para participarem do segundo encontro do Grupo de Estudos do livro verde.


A imagem pode conter: texto


Dia: Sábado, dia 02 de Setembro de 2017
Horário: A partir das 14h30 min.
Local: Centro de Meditação MOINTIAN
Contribuição: R$30,00 para não colaboradores