GRUPO DE MEDITAÇÃO E ENCONTRO PARA DOAÇÃO DE ENERGIA

22/05/2017


31. GRUPO DE MEDITAÇÃO E ENCONTRO PARA DOAÇÃO DE ENERGIA

GRUPO DE MEDITAÇÃO
Terça-feira, dia 23 de maio, às 19 horas, iniciaremos uma nova atividade no Centro de Meditação MOINTIAN. Será o início do encontro para prática de meditação. Esse encontro seguirá a meditação conduzida, conforme descrita no livro Práticas Para a Meditação Livre. Iniciaremos com uma breve descrição do conteúdo do livro, formas de postura, dicas básicas de respiração e então seguiremos para o Exercício Básico de Meditação, o EBM.
Esse encontro será importante para dar suporte aos iniciantes na prática da meditação, especialmente para os que fizerem o curso ou lerem o livro laranja. As portas estão abertas para novos participantes. Os patrocinadores ou colaboradores têm a entrada livre em todas as atividades do Centro. Para os demais participantes, definiremos um valor para contribuição por atividade.

DOAÇÃO E TROCA DE ENERGIA
A partir de quinta-feira, dia 25 de maio, 19 horas, teremos outra atividade quinzenal.
É o encontro para doação e troca de energia. Esse encontro será realizado quinzenalmente, na 2ª e 4ª quinta-feira do mês. Em determinado momento, os alunos serão agentes de doação de energia para convidados ou novos alunos e, em outros, haverá uma troca de aplicações, ou de energia, com técnicas variadas, entre os participantes. Os alunos podem convidar pessoas que não sejam iniciadas para receberem uma dose de energia.


32. A arte de ver a arte

Há tanta graça e beleza em ver o mundo sob a pureza do próprio olhar. Aquele que satisfaz todos os sentidos em uníssono, que eleva, que sente, pulsa e se deixa tocar, que conecta, desperta e desenvolve. Quanto mais buscamos conhecimento das artes, do belo, do que pode ter sido criado com objetivo de manifestar uma grande ideia, mais vamos conhecendo o mundo e ampliando nossa consciência. A arte, então, em suas manifestações mais nobres, pode nos conduzir a estados muito profundos de consciência.
Foi isso que eu quis introduzir na segunda parte do livro laranja, quando indiquei a apreciação de certas composições eruditas acompanhadas da interpretação de seu significado. A mais rica, naquele contexto, é a obra de Vivaldi “As Quatro Estações”. Apreciar aqueles sons enquanto se lê a descrição que o próprio autor faz de sua ideia, transporta-nos a um profundo estado de consciência.
O mesmo pode ocorrer enquanto contemplamos uma obra de um artista preferido, por exemplo. Podemos ficar horas, dias ou até meses, olhando, apreciando, até que consigamos entender, ver ou interpretar, em uma única imagem, tudo o que o artista queria mostrar, o que viu, e sua maneira de traduzir isso por meio de sua técnica.
Hoje, com as informações voláteis, com a mídia, a TV e os filmes que transmitem miríades de informações em um segundo, quantos ainda lembram da arte de ver a arte? Quantos ainda param e se deixam tocar pelo universo de informações, elementos, sensações que pode conter em uma única cena? E as dimensões que ela pode estar refletindo?

Este tópico foi iniciado há alguns meses. No entanto, recentemente, com a minha mudança, o fato de estar “montando” o centro de meditação e, tendo deixado alguns objetos deslocados pelo ambiente, noto que algumas pessoas param para apreciar aqueles que lhes tocam. Foi o que ocorreu com um trabalho artístico que realizei há mais de 20 anos, denominado “Clareira no Bosque”. Uma imagem simples, feita com paciência, que deve ser observada com cuidado, com o auxílio de uma lupa para que se veja os detalhes, pode trazer momentos de profunda meditação. A reprodução fotográfica que deixo aqui não permite que se atinja a nítida compreensão disso, mas pode-se ter uma ideia. Uma amiga, visitando o espaço, sugeriu que ela fosse alvo de uma experiência de observação para os futuros visitantes.



E assim vamos andando, com muitas novidades a cada momento.

ATIVIDADES DO CENTRO DE TREINAMENTO

11/05/2017

Sala de Meditação

Desde o dia 26 de abril, já estamos realizando as meditações da quarta-feira no Centro de Treinamento do MOINTIAN em Santa Maria.

Domingo, dia 07 de maio, tivemos uma breve charla, na qual falamos sobre o novo momento do MOINTIAN. Logo após, tivemos uma partilha de salgados, ofertados pela Fátima, de Santiago.
Eis um registro dessa data:





No próximo sábado, dia 13 de maio, a partir das 14h30, teremos outra atividade. Neste dia, salientarei a importância da meditação como prática diária e as formas mais simples de se aproveitar esses momentos. Logo, farei uma breve aplicação individual com os participantes.

Logo definirei as atividades fixas e colocarei mais fotos do Centro de Treinamento.
Quero agradecer imensamente o apoio de todos. Só assim, está sendo possível materializar o nosso local de práticas.

E, dessa forma, vamos seguindo.


CENTRO DE TREINAMENTO EM SANTA MARIA

01/05/2017

Quero comunicar a todos que o Centro de Treinamento do MOINTIAN já está com nova sede em Santa Maria, RS, situado à Rua Francisco Manuel número 27, apartamento 101, bairro Nossa Senhora de Fátima.
Estaremos juntos como uma grande família a partir da primeira semana de maio neste local, onde receberemos amigos, alunos para cursos e clientes para terapêutica. Os atendimentos seguirão uma linha diferente daquela que havíamos feito até então e assim eu poderei acompanhar casos novos ou mesmo aqueles que estiveram incompletos ao longo dos anos.
Este será um lugar no qual poderemos nos encontrar, conversar, trocar ideias... uma casa para todos.
Devido às mudanças realizadas, preciso deixar claro que para a concretização deste projeto, necessitarei da colaboração de todos. Essa colaboração será desde a presença física, para que os eventos e encontros possam ocorrer, como a colaboração financeira, para que as despesas possam ser devidamente compensadas.

No decorrer da semana organizaremos um cronograma de atividades semanais a serem desenvolvidas no novo local, bem como os custos referentes à participação nas práticas, como forma de retribuição aos serviços prestados e à manutenção do Centro de Treinamento.

Além disso, criaremos um novo blog, para divulgar os eventos que serão realizados, como os sugeridos abaixo:

- meditação da quarta-feira - semanal;
- doação de energia com mantras - quinzenal;
- conversa informal - temas sugeridos, recital, vídeo ou música;
- terapia individual – com agendamento

Poderemos estabelecer:

- grupos de estudos quinzenais dos capítulos dos livros – temas predefinidos;
- grupo de meditação – EBM em grupo;
- passeios ao ar livre – caminhadas e movimentos de energia;
- cursos dos níveis MOINTIAN e de meditação.

Todos os auxílios a distância prestados aos alunos, conforme expostos no blog “universomointian” são gratuitos. Tenho passado muitos anos realizando todos os procedimentos de forma absolutamente abnegada e sem qualquer pretensão financeira. Porém, a atual fase estabelece uma nova forma de trabalho, na qual se faz necessária a colaboração daqueles que possam ter recebido algum benefício e que, dentro de suas possibilidades, possam participar do desenvolvimento e consolidação desse projeto.
Mas a importância da participação de todos neste novo momento vai muito além do apoio material. Estamos abertos às sugestões, dúvidas e considerações.

Contatos:
Delci Jardim
telefone: 055 999801603

Fernanda Fank
telefone: 055 999590615
grupo do MOINTIAN no Whatsapp – 055 999590615

Endereço do Centro de Treinamento:
Rua Francisco Manuel, 27
Bairro Nossa Senhora de Fátima
Santa Maria

Para depósitos e contribuições:
(favor notificar qualquer depósito)
Banco do Brasil
Delci Jardim da Trindade
Poupança – 20823X
Agencia – 1102-9
Variação 51

A organização do espaço ainda está exigindo bastante tempo, mas os atendimentos individuais já podem ser agendados. Os encontros para as meditações de quarta-feira já começam a partir desta semana.

Logo comunicarei mais novidades.
E vamos seguindo... rapidamente.

SOBRE OS ENCONTROS E MEMÓRIAS E UM NOVO CICLO DO MOINTIAN

16/04/2017


29. SOBRE OS ENCONTROS E MEMÓRIAS E UM NOVO CICLO DO MOINTIAN

Estamos vivendo uma nova fase do MOINTIAN e da conexão com a energia. Muitas definições e muitos fatos nos permitem vislumbrar novos rumos e novas possibilidades. Ainda é cedo para estabelecer definições mais concretas, mas estamos a caminho de uma fase mais ativa muito proximamente.É sabido que muitos de nós, que caminhamos juntos atualmente, já estivemos juntos, em outras épocas e lugares. Hoje, vejo que são muitos, até mais do que eu esperava, os que se pode reconhecer ou mesmo que redescobrimos como parte de uma convivência que vem desde há muito tempo. Há muitos que foram companheiros de caminhada, que conviveram proximamente ou que apenas passaram em uma certa linha do tempo passado. Era do conhecimento de alguns que o nosso, agora saudoso, amigo Antonio Carlos Izolan, foi dos poucos que estavam na Caxemira quando da anterior manifestação do MOINTIAN. E, ainda que não tivéssemos um laço mais forte por lá, sempre foi um companheiro marcante. Aquele período foi um marco importante para todos nós. Eu sempre considero inquebrantável um laço oriundo daquela convivência.
Temos, no entanto, vários tipos de “irmãos internos”, seres que participam dessa corrente, dessa hierarquia, como viemos a nos estabelecer. Há os dimensionais, pluridimensionais, que prestam auxílios em muitos aspectos, como muitos já o sabem; há os que, por se iniciarem no MOINTIAN, atingiram o nível interno de vibrar na mesma frequência, que estão numa mesma vibração, que já são livres da campânula e aos quais eu considero irmãos em nível de consciência; outros, ainda, remanescentes mais profundos, são parte de mim mesmo. Isso tudo compõe o universo MOINTIAN, um universo de possibilidades e definições que jamais tivemos igual, pois estamos vivos, aprendendo e descobrindo a cada dia.
Alguns dias atrás, em uma iniciação, tive a grata surpresa de reconhecer outra pessoa com a qual andamos muito próximos, eu, na Caxemira, 2000 anos atrás e o Delci, na Macedônia, 3000 anos atrás, para resumir o tema. Fomos muito próximos, nesses locais e especialmente na Caxemira, nas partilhas de informações, nos tratamentos aos demais, nas caminhadas para expandir a ideia própria para aquele antanho. Reencontramo-nos em inúmeras outras experiencias de vida, depois disso.
Reencontrar um companheiro de jornada, especialmente uma jornada tão ampla, significa muito. Assim como já ocorreu anteriormente, essa pessoa também faz parte de nossa família monádica. Eu diria que é a última remanescente ainda encarnada e sem estar fundida aos demais núcleos superiores. Com essa informação, também reescrevemos muito do que se “compreende” sobre as definições e conceitos espiritualistas. Além de haver tido uma enorme surpresa, por esse reencontro, tivemos algo que foi o mais importante: um encontro profundo com Micah, que me esclareceu ainda mais sobre o novo passo a ser dado. Sobre esse acontecimento, estávamos reunidos diante daquele ser grandioso, que nos abençoa, valida nossa atuação, para um novo trabalho que hora se inicia. Com isso, também, essa pessoa, que por hora ainda permanecerá desconhecida para muitos, e que estava sendo internamente preparada por meses, alcançou o nível mais elevado para si mesma. Todas as suas potencialidades, a compreensão sobre o Método e o alcance do que podemos realizar vieram à tona. Mesmo que inconsciente de muitos fatos do plano interno, é inegável, para si, a diferença que se opera em seu ser. Isso, a ponto de pessoas de seu convívio quase não a reconhecerem, ou sentirem uma emanação incrivelmente radiante e transformadora na sua presença. Muitas memórias despertaram.
Com esse fato, escondido até de mim mesmo, reencontro uma força dinâmica e firme que impulsiona a toda uma nova fase de trabalho. Certamente muitos devem estar sentindo o enorme fluxo de expansão e mesmo de impulso que, com isso, ocorre agora. É, definitivamente, um marco importante na nossa história.
Nunca foi meu propósito despertar memórias, consciências, antes do tempo ou mesmo colocar ideias dessas memórias quando o tempo para assimilá-las não fosse o ideal. Mas eu preciso seguir um fluxo. E o movimento desse fluxo, fez a aproximação de pessoas, seres, mônadas... Vejo, além disso, que outros irmãos internos estão alcançando muitas novas possibilidades. São outros reencontros, outras partilhas, outras motivações para seguirem com suas caminhadas. Estou vendo que os que estão abertos, conseguem ainda mais ter esclarecimentos profundos sobre seus processos, para a resolução de conflitos ou mesmo desajustes em todos os níveis do seu ser.
Há uma alegria intrínseca ao movimento, que nos impulsiona ao centro de nós mesmos. E todos os que estejam conectados a esse movimento, podem sentir as mudanças em seu próprio ser.
Com isso tudo, estamos no caminho de um ciclo muito mais ativo do MOINTIAN.


Um trabalho utópico

Ao se iniciar um trabalho grandioso, especialmente um com uma meta especifica, clara e definida para mim, e diretamente atribuído por Micah, isso gera uma força imensa.
Estar presente na onda do movimento que isso ocasiona é estar à beira de um precipício. Não há opção. Tudo vem à tona. Nas últimas semanas, todos têm sentido muito fortemente as mudanças em suas vidas. E como ondas, veem certezas incríveis intercaladas por dúvidas colossais. A sujeira do tapete é lançada, e não parece apenas uma poeira, senão toda a areia do deserto. É impossível ficar sem sentir algo quando estamos no meio do furacão.
Um trabalho assim profundo e oriundo do mais interno que podemos alcançar, exige tranquilidade, meditação, que as pessoas vivam apenas para si mesmas, para seus processos.
Eu consigo ver o plano geral de um trabalho logo no início. Mas quando outros estão juntos, se não conseguem conter suas emoções, tudo pode estar perdido.
Sinto que não está fácil para os que estão convivendo mais permanecerem firmes diante das turbulências que ocorrem. Até eu mesmo estou em profunda mudança em todos os níveis de minha vida.
Mas, se os que estão dentro titubeiam agora, a energia irá se recolher. E estancaremos algo que poderia ser grandioso.

Esperemos o próximo passo.
Dias atrás experimentamos uma energia muito renovadora, uma verdadeira iniciação transmitida por um grande ser que despertou.
Na próxima quarta-feira, pretendo estar em Santa Maria para expandir um pouco mais essa energia e, se ainda for possível, continuar com o trabalho ou recolhê-lo até outro momento propício.

Nas próximas semanas, estarei definindo os potenciais para estabelecer um novo ciclo ativo de atividades e um local apropriado para as práticas.


Aproximações e distanciamentos

É preciso entender muito claramente, que por mais que um ser esteja integrado, que faça parte de um trabalho grandioso ou que esteja no mais elevado nível interno, sempre há possibilidade de um distanciamento do proposito interno. Isso ocorre quando a prática da conexão com o eu superior é negligenciada. Se a personalidade, se a interpretação intelectual sobrepõe o intuitivo, isso ocasiona um distanciamento do propósito interno. O potencial, aquilo que se é internamente, jamais se perde, mas a conexão, o correto direcionamento, fica prejudicado. Assim, para os que seguem um fluxo constante, parece que houve uma ruptura, um afastamento, mas que é apenas a liberdade de escolha, que todos devemos saber que temos, não importando o nível interno atingido.


E, ainda mais, seguimos.



INICIAR, INICIAÇÃO, INSTRUÇÃO INTERNA, NÍVEIS DE TRABALHO

05/04/2017


24. Para iniciar no método

Ainda que existam as autoiniciações e que já tenhamos tido os testes com instrutores, o MOINTIAN é uma instrução pessoal, passada pelo Codificador do Método para os alunos interessados em aprendê-lo da maneira que possa trazer-lhes os melhores resultados. As instruções podem ser obtidas intelectualmente, pela leitura dos livros, mas as aberturas mais profundas e a correta estabilização da energia ocorrem pelo contato direto e pessoal com o Codificador.
Esse é um método muito antigo e que não segue quaisquer padrões já enunciados por escolas, métodos ou grupos. Foi estruturado ao longo de milênios, mas com a força e o objetivo estabelecido há mais de 210 mil anos, desde antes da minha chegada a este plano dimensional.
Mesmo que não tenha sido estabelecido um contato físico ou que o aluno não tenha contatado por qualquer meio de comunicação, a instrução do MOINTIAN é interna e será feita sempre comigo. Isso ocorre não apenas quando a iniciação é realizada pessoalmente, mas também quando é realizada a autoiniciação ou se for realizada por outra pessoa. Se não for assim, não é MOINTIAN. Por isso, tenho notado que os alunos ou interessados que fazem o contato comigo e que seguem as orientações mais diretas, obtêm melhores resultados pois, apesar de que a instrução esteja nas páginas dos livros, cada pessoa é muito singular e exige uma correta organização de técnicas para o seu correto despertar com o MOINTIAN.
Entendo que nada substitui a transmissão direta do conhecimento vivido por alguém que demonstre dominar um assunto. Então, posso dizer com segurança que, sendo o MOINTIAN um método único, nada substitui o contado direto e a instrução em cada etapa do processo, que a convivência com o Codificador do Método.
Por que isso é assim? Porque todos os que “conhecem energias” estão acostumados a invocar coisas e seres e a misturar hierarquias. Mas aqui, só tem MOINTIAN.
Então, mesmo que não seja estabelecido um contato físico, eu, no plano interno, terei que rever as ligações e conceitos que estabeleceram, os motivos pelos quais quiseram conhecer o método e ligar, desligar ou refazer conexões. Isso, obviamente, dá muito mais trabalho do que já fazer tudo da maneira correta desde o início. Lê o tópico 34 do livro azul.


25. Iniciações – início e após a iniciação

O MOINTIAN é um método de transmissão pessoal de conhecimentos. Enganam-se os que pensam que, por estarem nos livros todas as informações, como os procedimentos para as autoiniciações e as instruções para a realização das técnicas do Manual, não necessitem de instrução direta. Como Método complexo e preciso, exige uma instrução mais apurada para que seja possível desenvolver os potenciais da forma correta. É como aprender uma arte ou como entrar em uma faculdade: precisa-se da instrução, por quem de fato domine o tema. Nesse sentido, o Manual foi feito para facilitar a vida do Codificador. Com os livros, posso apontar diretamente conceitos ou técnicas que sejam específicas para cada aluno, de acordo com suas necessidades reais e internas. Mas essas informações internas, pessoais, só poderei transmitir na medida que haja uma transparência entre o aluno e o Codificador. Isso é que irá tornar um leitor em aluno. E o processo será facilitado. Os que não queiram o contato, ficam na câmara externa. Ou podem partir para outro método.
Mesmo que não queiram ou que não ocorra o contato ou uma comunicação por parte do aluno, no plano interno eu terei que verificar as condições de todos os que se iniciam no Método. E isso torna, de certa maneira, meu trabalho mais complexo. Algumas vezes, quando um leitor pensa da maneira antiga, querendo apenas agregar forças ou conhecimentos ao que já esteja realizando, misturando energias e conceitos, preciso desfazer conexões equivocadas ou mesmo anular iniciações. Por isso, é essencial entender o propósito do Método e é imprescindível ler o livro Uma Nova Consciência Para Uma Nova Humanidade (livro verde) antes de iniciar a leitura do Manual.
Ainda assim, o MOINTIAN propõe muita liberdade, pois os alunos estão livres para seguirem seu próprio caminho, a qualquer momento, ou após terem despertado sua essência interna e verdadeira.


26. Instrução interna e Nível III

Um verdadeiro aluno sabe que, desde o início, mas especialmente depois do Nível III, muitas transformações podem ocorrer. Em muitos casos entendem que a verdadeira instrução não está nas páginas do Manual. Isso porque a verdadeira instrução não é aquela escrita. É algo vivo, é algo além das definições escritas que, por mais profundas que sejam, são generalizadas, voltadas para a coletividade, para os alunos que aceitem o Método. A verdadeira instrução é uma parceria verdadeira, é um contato íntimo que pode ser acelerado quando esse aluno recebe um conjunto de técnicas ou indicações mais especificas para o seu processo individual e único. Isso também ocorre, ou pode ocorrer, em processos de desequilíbrio em vários níveis e constitui-se na condução terapêutica profunda, que tem por objetivo a aceleração do processo interno do aluno.


27. Instruções internas e além dos livros. Sobre reuniões

O que se pode ver, com as leituras dos livros, é que os que estão apenas na percepção intelectual vão apenas se concentrar no que está definido nas técnicas, pensando que nada mais ocorre.
Quando aqueles que percebem algo mais, que vivem de acordo com as percepções internas, comentam, vão dizer que estão de “segredinhos”. Mas é toda uma possibilidade que ocorreu com quem está lá, que não são escolhidos ou privilegiados...
Isso vai ocorrer em muitos níveis, pois para cada um que realmente necessite será uma instrução própria, particular. Nesse sentido, os livros e os escritos não são nada. Eles apenas servem para que eu possa saber em que nível está o aluno e como ele poderá ou não ser auxiliado.


28. Os diferentes níveis de trabalho

Isso é assim por que, em primeiro lugar, as necessidades iniciais são muitas. Há os que precisam de cuidados em nível de personalidade, há os que estão no limiar da alma, há os que estão prontos, mas despertando agora. Enfim, para cada grupo de alunos, as instruções, o conjunto de técnicas o foco é muito diferente.
Também se torna diferente quando um aluno assume uma tarefa interna. Então ele se distancia ainda mais do grupo geral. Ele assume compromissos pessoais e espirituais que modificam sua vida como um todo.




Os primeiros tópicos aqui postados fazem parte do blog do Manual do MOINTIAN. Ao expo-los aqui, reforço a importância de seu conteúdo.

Vamos seguindo...



CARACTERÍSTICAS, TEMPO PARA MUDANÇA, FASES

27/03/2017

20. SOBRE AS CARACTERÍSTICAS DE CADA UM

Ao longo dos anos eu vi que, quando se fala diretamente sobre uma característica que alguém manifesta e que precisa mudar, como o tom que a pessoa emite, essa pessoa não entende: “Como é? Depois tu me explicas? Daria para ser mais claro?” – perguntam.
O outro fato é que aquilo que cada um vê é sempre diferente. O que um vê não é o mesmo que o outro. E a verdade de um, não é a mesma de outro.

Alguns dizem: eu mudei. Sabem ou reconhecem que mudaram, trocaram focos, amadureceram.
Mas quantos realmente transformaram, transmutaram? Em que nível essa mudança ocorreu?
Porque tudo pode mudar, mas aquela característica “invisível”, a característica que é teu mote de vida, ela permanece. Então, saber qual é ela, capturar ela, montar nela, como a história antiga do pastoreio do touro, faz com que possamos usar algo que poderia ser negativo para transformar em algo positivo e extremamente valioso.
Veja por exemplo, uma pessoa que tenha sido meio dispersa, que nunca tenha gostado muito de fazer algo por muito tempo, de seguir regras ou de sair de casa por muito tempo ou de andar pelos parques e pelas ruas... Então, essa introversão, pode ser usada para a prática da meditação e, dos resultados, conhecimento interno e partilha.

De maneira geral, as pessoas só querem ouvir coisas boas a seu respeito. Então, entram no caminho interno, comigo, e não entendem quando eu dou uma “dica” sobre sua real personalidade. Assim, de “grande orientador” e amigo, eu passo a carrasco sem dó...
Sempre que iniciam no MOINTIAN, pedem que eu fale tudo a seu respeito: “não deixa de me falar qualquer coisa” para meu crescimento... Só que, nas poucas vezes que falo, e que pode não ser aquilo esperado, dá nisso. Não gostam.
É um problema que muitos acreditem que, apenas porque agora voltaram para o “crescimento interno”, já se achem pessoas boas. É que nem nas igrejas: “Agora foi aceita por Jesus...” que ignorância. É preciso ter muita coragem para perceber os erros e defeitos e querer de fato transformar uma vida. Mas não é por receber uma iniciação ou algumas aplicações de energia que tudo vai mudar. Para uma mudança, é preciso trabalho consciente, é preciso decisão, é preciso permanecer na decisão até que as mudanças se instalem de fato.
Muitos dizem que não entendem a maldade dos outros, quando lhes julgam e condenam. E perguntam o que fazer para mudá-los. Mas a mudança precisa ocorrer de dentro para que possa ser irradiada ao ambiente, para os demais. Quando ela ocorrer, talvez nem estejamos mais perto daquelas pessoas ou então aquelas pessoas irão nos ver com olhos diferentes, pois vão enxergar algo diferente. E o diferente foi a mudança que ocorreu, de dentro para fora.


21. Sobre o tempo para uma mudança ou transformação ocorrer

Conforme o capítulo 5 do livro verde, alguém me contestou, dizendo que até eu tinha uma companheira, e que eu havia dito que essa pessoa deveria isolar-se um tempo, para que primeiro se descobrisse, recolhesse sua força, descobrisse seu ser interno, e só então partisse para querer encontrar um companheiro. Bem, essa é uma daquelas análises muito temporais, muito imediatas que fazem, quando querem achar uma desculpa para não realizarem um processo de mudança, ou quando estão sentindo pena de si mesmos: pobre de mim, eu tenho que sofrer enquanto os outros se divertem...
Pois deveria saber, antes de emitir um comentário ou julgamento, que, para eu completar minhas “aptidões” para preparar meus corpos para a mudança em todos os níveis que precisava, isso lá, 18 anos atrás, eu fiquei em absoluto celibato e reclusão por 4 anos. Precisava desatar laços, curar profundamente meu ser, matar minha alma...


22. Sobre resoluções, mudanças e vida espiritual

Falam da dificuldade da vida espiritualizada, da dificuldade do convívio, que ocorrem muitas mudanças e que há muita seletividade, mas se fossem considerar a vida de fato, e as escolhas mais internas, coisas como cortes de cabelo, sair à rua, deveriam ser policiadas para a correta reclusão. Reclusão é um momento. Então, me veem como uma pessoa normal, que brinca, que come pizza, e que tem uma esposa. Mas e todo o resto? E todo o processo? E como eu cheguei a isso? O que abdiquei antes? Quanto tempo levei nisso? Então, não julguem o que não sabem e o que nunca fizeram. Mas tentem viver cada momento e ter o máximo de experiências para que possa ocorrer um despertar correto. E eu tendo vivido tudo conscientemente, serviu para poder passar as técnicas e os processos daqui, de outras vidas, do interno.


23. Sobre fases e conversas

Quando eu entendo que alguém está falando sobre algo da personalidade, eu não alimento isso. Eu deixo que saia, eu absorvo, mas não me envolvo nem deixo que aquilo seja o foco de uma conversa. Esse exemplo todos deveriam fazer e ter uma compreensão sobre as fases e vivências de cada um, livre totalmente de qualquer julgamento, em paz, com uma conexão perfeita entre o que se vê e o que se gostaria que o outro manifestasse.

Vale, como “tema de casa”, a leitura do terceiro e quarto parágrafos da página 44 do livro laranja.


Muitos fatos estão ocorrendo no plano interno. O fluxo da energia, o alcance, e até mesmo uma nova fase está prestes a se descortinar. Encontros milenares e transformações internas, das quais em um momento não muito distante, falarei, estão ocorrendo. O desabrochar e a integração de pessoas, remanescentes de anteriores ciclos da energia, nos impulsiona para uma nova fase.

E com isso, ainda mais amplamente, seguimos...


ACELERAÇÃO ESPIRITUAL, MUDANÇAS E CARACTERÍSTICAS

19/03/2017


14. Sobre a aceleração espiritual

Quando o processo interno é acelerado, especialmente por certas condições de necessidade de pessoal, necessárias para a realização de um determinado trabalho ou de grupo, muitos podem crescer, evoluir imensamente, mas carregando em si algumas sementes de características negativas da personalidade. É como fazer um pão com farinha integral sem peneirá-la devidamente. Logo, agrega-se o fermento e a massa cresce, crescendo junto, se pudermos comparar assim, aquelas sementes de processos negativos da personalidade que não foram devidamente trabalhadas.
Isso, como consequência, gera uma pessoa altamente espiritualizada, um mestre interno, mas com problemas de personalidade bem marcantes. E a falta de contato interno pode agravar as situações de conflito. Com isso, o desequilíbrio entre o interno e o externo se acentua. É preciso querer muito o contato interno, que dá força, que dá a direção para o próprio caminho. E assim, as características que não foram eliminadas vão, aos poucos, sendo trabalhadas.

15. Um mestre atual – o tópico 53 do livro azul e além dele

É de grande responsabilidade para os que estejam em um nível interno avançado – aqueles que sabem o que são internamente - que identifiquem padrões equivocados ou que podem ser transformados em outros que também sejam avançados, e que auxiliem na transmutação disso, mas com extremada sabedoria. Em vez de críticas, de rechaços ou de afastamento, é preciso acolher e despertar a força interna ainda mais.

Voltamos àquele princípio de perseverar, de necessitar ver, sentir e querer estar com o nível da essência dos outros. É preciso ver o ser interno e é preciso estimular esse interno, essa essência, muito mais que a parte externa ou as características que possam ser negativas e que devam ser eliminadas.
Então, em algum aspecto, ou para alguns, mesmo que eu tenha dito que a coisa dos signos esteja obsoleta, pode ser importante, a partir de certo ponto, praticar os festivais para fazer um ciclo, percorrendo os signos por um ano, identificando as características negativas e tentando transformá-las nos aspectos positivos de cada signo.
Mas, isso dos plenilúnios, nada tem a ver com astrologia ou mapa astral. É apenas com as características da personalidade que precisam estar sendo analisadas, características que se manifestam mais em um signo que outro, mas que tem muito mais a ver com a manifestação dos raios. É apenas para isso que vai servir esse trabalho. Identificar padrões positivos e negativos de cada raio, de vários grupos de personalidades e observar em si como isso se manifesta a cada ciclo. Mas não vou desenvolver mais isso agora.

16. Não é para grupos

MOINTIAN não é para grupos. Tenho trabalhado para que todos sintam-se livres, plenos, mas são poucos os que realmente criaram aquela intimidade real, fruto não apenas do convívio, da abertura, mas pela real compreensão de si mesmos e de seus processos internos.
Alguns, quando se dá uma dica, vão sempre no caminho contrário, especialmente os mais “mentais”. Analisam tudo, mas permanecem sem olhar no espelho para ver a real face que pretendo mostrar. Outros, poucos, enxergam de tal maneira a si mesmos que o espelho desaparece. São tão claros, transparentes, com suas histórias simples e abertas, que vivem plenamente uma vida de liberdade. Então, eu gosto de conviver com esses e com os que pretendem quebrar seus espelhos.
Continuar escrevendo, parece ser a maneira de deixar a energia viva, que transforma, em um dado momento. É como estarmos juntos. É uma necessidade de ainda trazer este fluxo para os que seguem e para os que chegam.
Penso que estes textos não serão muito coerentes, nem rebuscados como os do conversando. Mas são a mostra do fluxo da corrente viva da energia.

Apesar de que eu diga que não fico puxando os outros, que cada um siga como deve, e que não devemos ficar puxando, carregando os demais, eu ainda reforço a ideia de que é preciso dar a mão para o amigo que está ao nosso lado. É preciso dar atenção ao amigo que caminha junto.

17. As orientações

Todos ainda estão muito acostumados a querer alguém para lhes dar ou dizer os passos a seguir. Mas eu não vou dizer o que fazer. E mostro o caminho, mesmo que tenham que ler nas entrelinhas, para a vida ser alegre.

18. As mudanças

Quando uma mudança ocorre, como no aspecto das relações, especialmente naquelas de anos sendo pensadas, mas que nunca se teve a força para realizar, o processo pode não ser nada fácil.
É como arrancar uma parte de si. É preciso avaliar se essa parte estava pobre ou era sã, ou se era uma situação estável, mas vampiresca, ou se era uma relação que não existia qualquer traço de amor.
Mas quando o processo se dá, é mesmo como arrancar um membro. É difícil, é doloroso, mas é o que sempre a pessoa quis. Então, quando é feito o corte, pensam que foi errado. Qualquer coisa é certa ou errada. Mas é preciso ser firme na decisão. É preciso saber o que é o melhor após a turbulência passar. Ficam anos pedindo ajuda, força para uma mudança, mas quando ela esta ocorrendo, o auxilio passa a ser o terror para os que estão em dúvida quanto ao passo a ser tomado. Quanto a isso, é sempre importante ter um próximo passo. É importante fazer mudanças inteligentes, pensando no próximo passo.

19. Características da essência

Quando o ser interno desperta, quando a essência se coliga ao nível além da alma, despertam características próprias do ser. Essas, nada tem a ver com grupos ou estruturas de grupos já conhecidas na terra. Alguém nesse nível, não vai precisar estudar magia, xamanismo, para entender o fluxo da “materialização” ou mesmo o fluxo da energia pelo ambiente. Alguém nesse nível estará ligado ao que importa e será muito mais que esses grupos já foram ou que seus mais elevados membros possam ter conhecido.



Por hoje, isso. Então, seguimos...